Coluna Surfocrata: O Garfo dos Garfos

Demorei 2 etapas para tentar não ser polemico…O MUNDIAL DE SURF ESTA SOFRENDO MANIPULAÇÃO EM SEUS RESULTADOS…é o que eu acho…

 

Os mais experientes vão falar que isso é desde sempre, os menos experientes costumam duvidar completamente desta hipótese.

 

Falei aqui mesmo nesse espaço que o resultado de J Bay foi uma patética tentativa de se aproveitar de uma boa história…algo como uma continuação de um filme de sucesso, mas que não chegou nem aos pés do primeiro.

 

O Tahiti foi pior. A garfada sobre Gabriel Medina na semi perante JJ teve tons de filme B. Se Medina fosse para aquela final o resultado desejado pela WSL não era garantido de ser alcançado, uma vez que, diferentemente de JJ, Medina não deixaria dúvidas na final, e avançaria sobre o Leão Velho de um modo tal que o careca pareceria um senil de 99 anos!

 

As vésperas do evento de Trestles eu, como Dadá Souza (veja aqui), fiquei sabendo da bizarra notícia de uma reunião interna dos juízes onde definiram que não julgariam o surf moderno, que o surf base lip e de linha é que seria analisado, ou seja, valorizado.

 

Tolo, quando aprenderei? Não tem nada que esses árbitros façam de ruim que eles não possam fazer pior…e o BEM pior estava por vir…

 

Antes de adentrar no tema GARFO DOS GARFOS, de fato, a notícia passada por Ricardinho Toledo acabou se mostrando a mais pura verdade, já que as melhores notas eram do surf sem voos…contudo, ao menos no caso de Filipe o tiro saiu pela culatra, já que foi o melhor surfista do evento sem voos, sem “modernidade”, mas extrapolando o surf convencional de modo supremo, absoluto! Foi de longe o melhor surfista da etapa mesmo perdendo para Jordy na semi, mais por um erro tático de Filipe do que por mérito puro da Lacraia Sul Africana, que acabou vencendo o Joel “nunca mais será” Parkinson na final.

Filipe Toledo. ft. Sean Rowland -WSL

 

O GARFO DOS GARFOS

 

Para se ter a ideia do tamanho desse garfo vou compara-lo com a farsa do jogo Peru x Argentina na Copa de 1978 (veja aqui).

 

Foi daquelas vergonhas de deixar o sujeito atônito, de boca aberta enquanto escorre grossa baba bovina…daquelas que serão lembradas no fim dos tempos e estou certo de que Porta irá para o inferno por conta disso.

 

Antes de mais nada, em resposta ao Rei Careca (veja aqui), infelizmente, ao deixar fora de contexto que a última onda do Tanner foi surfada na liderença e não precisando de nota invalida todos os bons comentários tecidos por ele em relação as notas super e subvalorizadas. Numa coisa o apoio 100%, os juízes tem que ser isolados! Não podem ver a reação do público, ouvir a reação do público, tão pouco saber quanto fulano ou ciclano precisam.

 

Dizem que essa postura do Careca apenas comprova seu status de sócio da bagaça toda…

 

Bom quanto ao GARFO DOS GARFOS, o feio mesmo é que não teve como esconder…estamos discutindo um 6 do Tanner (que valeu mais de 8) contra um 9 alto do Medal (que valeu 8 baixo). Não é como no Tahiti onde você pode apontar o dedo pro drop mais atrasado do JJ, ou pra manobra do Medina pós tubo, ou pelo tempo de foam ball…a bateria foi garfada, mas próxima de uma realidade.

Gabriel Medina. ft. Sean Rowland -WSL

 

 

Desta vez não…é unanime que a onda do Medina viraria a bateria e deixaria o americano em maus lençóis, precisando de quase 10 para desvirar…foi, para manter as palavras de baixo calão fora do texto, feio.

 

Por fim, a reação gringa, tão revoltada quanto a dos nacionais, demonstra que o caminho escolhido pela WSL será tortuoso. Falem mal mas falem de mim, parece ser o lema.

 

Escrevo propositalmente as vésperas da perna Europeia para (re) afirmar que teremos garfo!

 

Pipe deve ser super emocionante, ao menos…porque afinal seria muita burrice manipular tanto os resultados do ano para não deixar pelo menos 5 caras com chances reais na última etapa do ano, ou não?

 

p.s1: Enquanto o mundo do CT esta nessa agonia, no QS Ian Gouveia e Yago Dora começam a mostrar do que são feitos. Seus pais, oriundos de dois dos menores litorais do país, Paraíba e Paraná, ambos criaram as ferinhas em Floripa e acreditem, são caras que, se entrarem, podem vencer qualquer etapa, especialmente aquelas naquelas esquerdas que até pouquíssimo tempo brasileiro não era nem cotado na bolsa de apostas…

(Yago em Cascais veja aqui)

p.s2: Que saudades do Bobby Martinez…Proponho um sinal pirata, na língua gringa mesmo, juntando Neco, Bobby, Snake e B. Lynch…nem a Rosie salvaria a WSL…

Gabriel Medina na polêmica bateria em Trestles. (divulgação)

 

 

Compartilhe...Tweet about this on TwitterPin on PinterestShare on Google+Email this to someoneShare on FacebookShare on LinkedInShare on Reddit

Ivo Surfocrata. Pai, Atleticano Paranaense, Advogado, Surfista, Festeiro, Marrento, Bebedor de Cerveja, Curitibano, Metido a Comentarista de surf e de automobilismo, criador do blog surfocracia e iludido pela justiça.

Login

Anti-Spam, Porque Por favor, responda a questão! *